top of page
  • Foto do escritorFelipe Girão

Da imigração à integração: 5 dicas para uma adaptação bem-sucedida

Atualizado: 30 de jan. de 2023


Muitas são as razões pelas quais pensamos em partir do Brasil, mas particularmente falando, acredito que uma experiência fora do país de origem pode acrescentar muito, seja no âmbito pessoal como profissional. Ao enfrentar uma imigração renunciamos às nossas certezas em detrimento as nossas possibilidades. Compartilho, então, com vocês 5 conselhos que eu gostaria de ter recebido antes de vir morar em Portugal!


1 - Paciência com a burocracia necessária

Por mais que sua viagem seja planejada, você vai enfrentar um batalhão de processos burocráticos para se regularizar aqui. Ter um Visto Consular é apenas a ponta do iceberg (e é imprescindível).


Mas antes e depois do Visto Consular há inúmeras providências a serem tomadas e para lidar bem com elas sugiro que prepare uma relação de tudo o que vai precisar, a começar com os documentos prioritários: Número de Inscrição Fiscal (NIF), registro no Sistema de Saúde Pública (número de utente), conta em algum banco português e Inscrição na Segurança Social (ISS) e informe-se acerca das condições necessárias para cada demanda.


Antes de dirigir-se aos órgãos onde vai tratar de cada providência faça sempre um check list e verifique se tem em mãos tudo o que precisa e se está em conformidade com as condições exigidas em Portugal.



2 - As regras mudam com frequência

Às vezes, as condições para determinado procedimento mudam tão rápido que a impressão que temos é que até mesmo os servidores públicos portugueses têm dificuldade em acompanhar as alterações. Por isso, é comum que você ouça que, “em Portugal, as regras são conforme quem fez o atendimento”. Não é bem assim, mas acontece!


Já passei por situações em que fui atendida de uma forma e meu marido de outra (no mesmo departamento) em poucos dias de diferença. Portanto, recomendo que busque sempre as informações mais atualizadas e formais possíveis antes de se deslocar para resolver qualquer questão em órgãos públicos em Portugal.


3 - Uma coisa de cada vez

Enquanto atendem ao público, os portugueses olham exclusivamente para quem está sendo atendido. É preciso esperar a sua vez (literalmente). Já peguei senha e entrei numa fila para saber se era naquele departamento que tratava o assunto que eu demandava. Tenho aprendido muito neste sentido a fazer mesmo uma coisa de cada vez ao invés da tendência que eu tinha a arcar com várias atividades.

Quando cheguei aqui confesso que ficava irritada, pois em nossa cultura é comum pararmos de realizar uma atividade mais complexa para prestar uma informação mais simples, por exemplo. Aqui a lógica é outra. Em muitos guichês de atendimento está lá a plaquinha indicando “aguarde sua vez”. É preciso mesmo esperar.


4 - O Comércio fecha na alta estação

Um dos choques culturais que tive em relação ao mercado logo que imigrei foi o fechamento de estabelecimentos durante o período de férias em plena alta estação. Para quem vem de grandes centros urbanos do Brasil é inimaginável fechar as portas em horário comercial e menos ainda quando a cidade está repleta de turistas.


Também é comum que lojas de rua ou mesmo dos centros comerciais fixem cartazes durante o período de intervalo para almoço dos colaboradores. Neste caso, a mensagem é bem criativa: "Volto já. Volte também".

Como publicitária (em minha formação original) fico impressionada com o desprendimento estético dos cartazes que comunicam o período de encerramento das atividades ou esses breves intervalos. Lembro que quando cheguei aqui fiz fotos de vários destes cartazes escritos à mão. Mais um aspecto para nos adaptarmos.


5 - Diferenças no idioma

Sem exagero, nos primeiros meses de vivência em Portugal eu tinha imensa dificuldade em entender o que os portugueses falavam. Lembro de quando estava buscando trabalho e ligavam-me para participar de alguma seleção (eu não entendia sequer uma frase). Eu terminava a chamada pedindo que enviassem data, hora e local por escrito por e-mail ou por SMS (ainda bastante usado aqui em Portugal).


Portanto, sugiro que exercite a compreensão do sotaque português vendo vídeos ou escutando músicas de artistas daqui. Pode parecer bobagem, mas essa aproximação com a pronúncia portuguesa pode fazer diferença no início da sua vida de imigrante.

26 visualizações0 comentário
bottom of page